Receba nossas atualizações por email
» Trabalho remoto » Dissertação “Senso de conflito em equipes distribuídas”

Acontecem conflitos em sua empresa?

Pessoas constantemente tem opiniões diferentes, então certamente alguns conflitos acontecem… como sua empresa lida com isso?

Resolver e gerencira conflitos é um fato comum a toda organização, seja ela uma empresa com um escritório tradicional, remota ou distribuída, mas isso não chega a ser um problema se os líderes e gerentes souberem lidar com isso.

Os líderes muitas vezes não entendem como uma quantidade moderada – não excessiva – de conflito pode iluminar várias perspectivas, estimular a criatividade e até melhorar a tomada de decisões em suas equipes. Conflito pode ser positivo, mas devemos ser transparentes e diretos em nossas comunicações.

Em sua dissertação feita como defesa de tese para a formação em seu curso de doutorado em filosofia, em Dezembro de 2016, Guangxuan Zhang estudou o tema Making Sense of Conflict in Distributed Teams: A Design Science Approach (Compreendendo o Conflito em Equipes Distribuídas: Uma Abordagem da Ciência do Design), e vale a pena ler para os líderes de equipes remotas (e até mesmo presenciais) se utilizarem do senso de conflito como um ponto positivo dentro das organizações.

Confira abaixo a tradução  do resumo da tese para entender um pouco mais do que trata tal tese:

Resumo:

Conflito é uma atividade substancial e generalizada na colaboração de equipes. Pode surgir por causa de diferenças nas metas, diferenças nas maneiras de trabalhar ou dissonância interpessoal. O foco específico desta pesquisa é o conflito em equipes distribuídas. Ao contrário das equipes tradicionais, os participantes de equipes distribuídas estão dispersos geograficamente e dependem muito da comunicação mediada por computadores. Entender e gerenciar conflitos é uma tarefa crucial nessas configurações porque está no cerne de muitas outras questões gerenciais (por exemplo, confiança, liderança e compartilhamento do conhecimento). Conflito em equipes distribuídas se escondem na comunicação assíncrona entre os membros da equipe . Embora isso cause sobrecargas extras na detecção e compreensão de conflitos, isso também torna possível reconstruir cenários de conflito com o propósito de dar sentido e gerir conflitos em essas equipes.

Os objetivos deste estudo são avançar na direção de uma teoria inicial do design na forma de uma nova abordagem de detecção e análise de conflitos; para implementar uma instanciação fiel de
esta teoria em evolução; e empregá-lo para obter uma visão sobre o fenômeno do conflito na nova configuração. O trabalho é organizado e relatado em três ensaios.

O Ensaio 1 desenvolve um meta-design da abordagem (CM2) e descreve sua implementação como um novo sistema de gerenciamento de conflitos. O design se baseia em um novo constructo – o Vignette (descrições vívidas, ainda que analíticas e repletas de teoria de experiências passadas) – que descreve situações de conflito. Um meta-modelo desenvolvido com base em teorias anteriores do kernel sustenta as vinhetas de conflito (a abordagem de gerenciamento de conflitos proposta) e o CM2 (a implementação). O ensaio também descreve uma investigação piloto empírica inicial que serve como o ímpeto para o estudo e demonstra o uso antecipado de CM2 com um cenário de uso detalhado.

O Ensaio 2 destina-se a automatizar o processo de extração de informações do conflito e dados de comunicação mediada por computador (CMC), como e-mails e mensagens instantâneas. O trabalho se concentra na ação básica em conflito – argumento – e desenvolve uma solução de detecção automática de argumentos. Com base na teoria da argumentação, proponho um modelo para detecção de argumentos composto por características que refletem cinco categorias de funções de argumentação, incluindo: anúncio; raciocínio; modalidade; transição; e, afetar, juntamente com outro conjunto de recursos de linguagem que são informativos para reconhecer argumentos. Os resultados da avaliação mostram que o modelo atinge maior precisão e recuperação na detecção de argumentos em conjuntos de mensagens em comparação com modelos de linha de base.

O ensaio 3 amplia os esforços anteriores de design para explorar o fenômeno do conflito em configurações distribuídas. O trabalho cria instrumentos para medir elementos de conflito, conforme especificado no meta-modelo e com base em informações de argumentos detectadas automaticamente. Seguindo uma abordagem de teoria fundamentada, uso os instrumentos para analisar 23.094 situações de conflito no Bugzilla, uma comunidade de desenvolvimento de software de código aberto. Os resultados da análise revelam padrões associados à ocorrência de conflitos, participantes e seus comportamentos, e a evolução temporal do conflito. Então, interpreto essas descobertas com a ajuda de trabalhos anteriores para desenvolver proposições teóricas que expliquem o conflito em configurações de colaboração de multidões que possam fornecer orientações para pesquisas futuras.

Guga Alves

Já fui empregado (CLT e PJ, em empresa tradicional, ecommerce e em startups), freelancer e dono de empresa, estagiário em empresa pública e durante esse caminho me formei em TI e fiz pós graduação em Marketing Digital... passei por todas as formas de trabalho que eram possíveis para minha área, inclusive por uma das maiores empresas com equipe 100% distribuído pelo do mundo, a Automattic / WordPress.com.

Vivendo os benefícios do trabalho remoto, me dedico por aqui a ajudar pessoas que querem melhorar sua organização e produtividade para conseguirem uma melhor performance, qualidade de vida, e quem sabe um trabalho remoto também :)

Artigos do autor

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *